Dicas do “Dr. Pet” para levar animais de estimação no avião


Dr.Pet_01Alguns ainda não sabem ou até nunca viram, mas é possível viajar de avião acompanhado de animais de estimação. É permitido levar cães e gatos em voos domésticos e internacionais e na própria cabine de passageiros, desde que os bichos (e seus donos) respeitem alguns critérios, como o tamanho do animal, a caixa de transporte (kennel) e, no caso de algumas companhias, até mesmo a raça.

Outras espécies, como pássaros ou lagartos, normalmente são embarcados no porão de bagagens (com suporte especial) do avião. No mesmo lugar também podem viajar cachorros de maior porte, como um Pastor Alemão. Também existem aeronaves comerciais que podem transportar até cavalos – nesse caso, o animal normalmente é sedado.

Para explicar melhor o transporte aéreo de animais de estimação em aviões, a companhia aérea Gol convocou o especialista Alexandre Rossi, o “Dr. Pet” – atual apresentador do programa “Missão Pet”, do canal por assinatura Net Geo, e do quadro “Desafio Pet”, do Programa Eliana (SBT), além de também apresentar boletins sobre o tema na rádio Jovem Pan.

Confira a seguir 10 dicas do Dr. Pet para garantir o bem-estar do seu animal de estimação a bordo do avião:

1 – Antes de definir sua viagem, saiba para quais destinos a companhia oferece o serviço de transporte de animais:

Para garantir a sua segurança e a do seu bichinho, as companhias aéreas têm algumas regras e restrições em relação ao transporte de animais, tanto em voos nacionais, como para viagens internacionais. A Gol transporta cães e gatos de pequeno porte na cabine em todos os destinos nacionais, com idade mínima de quatro meses e peso máximo de 10 kg (incluindo o kennel). Além da cabine, é possível fazer o transporte de animais no compartimento de cargas.

2 – Informe-se sobre as regras e procedimentos da companhia aérea para transportar o seu animal de estimação:

Entrar no site da companhia ou ligar na central de atendimento é uma dica valiosa para quem não quer deixar nada para a última hora e evitar imprevistos ou surpresas no momento do embarque.

3 – Solicite o serviço de transporte de pets com antecedência, para checar a disponibilidade de voos, e não se esqueça de consultar as tarifas:

Para levar o seu cão ou gato de estimação junto com você, é necessário avisar com antecedência a companhia aérea com a qual você vai viajar. É importante não pular esse passo, pois ele garante a reserva para a data e o horário desejado. Na GOL, há um limite de, no máximo, quatro pets por voo.

Caso o seu bichinho de estimação ultrapasse as dimensões ou peso máximo para viajar na cabine, não se preocupe, ele voará com você, mas em outro ambiente. Os animais que pesam até 30 kg são acomodados no porão dianteiro da aeronave, que possui a mesma pressurização e temperatura da cabine de passageiros. É importante verificar as restrições para algumas raças.

Existem taxas cobradas pelas companhias para o serviço de transporte do seu bichinho. Dentro da cabine, na GOL, o valor atual é de R$ 200 por trecho, que deve ser pago na reserva do serviço.

4 – Se o animal for na cabine, atente-se às exigências para a caixa de transporte:

No avião, é necessário que os animais estejam acomodados em uma caixa de transporte (kennel), que pode ser adquirida em pet shops. Ela pode ser de material rígido ou flexível. Antes de comprá-la ou embarcá-la, verifique se as dimensões estão de acordo com as permitidas pela companhia aérea. Lembre-se que, para a segurança de todos os passageiros, durante o voo, o pet não pode sair da caixa.

caixa-de-transporte-960x6405 – Habitue o pet ao uso da caixa de transporte:

Uma dica importante é acostumar o bichinho com a caixa de transporte com antecedência – isso não pode ser deixado para a última hora! Opte pelos modelos mais confortáveis, que tenham espaço suficiente para o animal entrar, dar uma voltinha e se deitar.

Faça associações positivas com a caixa de transporte. Você pode, por exemplo, incentivá-lo a entrar jogando algo que ele goste muito dentro dela, como algum petisco ou brinquedo. Tenha paciência e faça isso gradativamente, sem fechar a porta. Recompense e elogie cada avanço que o pet tiver. Quando ele estiver mais habituado à caixa, comece a fechar a porta por alguns minutos e aumente aos poucos o período de permanência dele por lá.

6 – Antes da viagem, verifique se as vacinas do seu amigo estão em dia:

Por questões de segurança, o seu bichinho deverá estar saudável para voar. Então, é fundamental levá-lo ao veterinário para checar se está tudo em dia e pedir um atestado de saúde. Confirme também se a carteira de vacinação dele está em ordem.

7 – Lembre-se de checar todos os documentos necessários – e exigidos pela companhia – para viajar:

Assim como você, o seu bichinho de estimação precisa apresentar alguns documentos para viajar de avião. É necessário apresentar um comprovante da vacina contra a raiva e atestado de saúde feito pelo médico veterinário, que deve ter validade de 10 dias e ser emitido com até 72h de antecedência ao voo. É preciso ainda preencher um formulário, disponível nos balcões do aeroporto, contendo informações do dono (como endereço, telefone e código da reserva/localizador) e do animal.

8 – Para viajar tranquilo com o seu pet, chegar no aeroporto com antecedência é essencial:

Todo mundo sabe que, para viajar de avião, é preciso chegar ao aeroporto com antecedência. Em viagens com o pet não é diferente. No caso da GOL, o check-in deve ser realizado, no mínimo, duas horas antes do embarque.

caixatransportegato01-960x6409 – Antes da viagem, é importante garantir a limpeza da caixa de transporte e o banho do seu bichinho:

A higiene do pet e da caixa de transporte é fundamental, principalmente se for viajar na cabine. Por questões de segurança e bem-estar de todos, ambos devem estar totalmente limpos. No caso da caixa de transporte, tenha certeza de que está desinfetada e esterilizada.

10 – Garantir o bem-estar do animal de estimação durante a viagem:

Para deixar mais tranquilos os animais que não puderem ser transportados na cabine, junto com os donos, é possível colocar dentro da caixa de transporte uma roupa ou algum objeto que tenha o cheiro dos proprietários. Isso o deixará mais seguro! Se o seu pet for muito agitado ou se a viagem for longa, uma opção é falar com o médico veterinário e avaliar se ele indica algum medicamento para acalmá-lo. Peça orientação a esse profissional também sobre a alimentação adequada antes de um voo. Importante: o animal deve estar sempre com a coleira de identificação, na qual deverão constar os dados de contato do dono. Essas informações também deverão constar na caixa de transporte.

Fonte: Airway - Notícias e histórias sobre aviação