Transfusão de sangue entre pets: como o seu cão ou gato pode ajudar a salvar outro animalzinho?


 

Você já deve ter visto alguma campanha sobre a doação de sangue humano na televisão ou nas mídias sociais, ou talvez já tenha tido contato com uma situação que demandou este procedimento: de qualquer maneira, você já sabe como este ato nobre e generoso é super importante para salvar vidas - o que você talvez ainda não saiba é que o seu cão e o seu gato também podem ser doadores de sangue e ajudar a salvar a vida de outros pets que precisam de transfusão!

Quando um cão ou gatinho sofre um atropelamento, câncer, doença do carrapato, intoxicação ou qualquer outra situação que inclua perda no volume do sangue ou na sua capacidade de transportar oxigênio e nutrientes, a transfusão de sangue é uma das esperanças de salvação: parece uma novidade, mas na verdade a doação de sangue entre animais é uma prática que já existe há um bom tempo na Medicina Veterinária, ainda que muitos donos não tenham consciência dela! Apesar de ser um gesto nobre, a transfusão entre animais é cercada de dúvidas sobre o bem-estar do pet doador: que tal sanar todas elas e ficar tranquilo para fazer do seu pet um herói canino ou felino que vai ajudar muitos outros que precisam?

 

Meu pet vai sentir dor?

Esta é a maior preocupação das mães e pais de pet sobre a transfusão: todo o processo de retirada de sangue é cuidadoso, não-doloroso e que não demora, assim o seu pet não passa desconforto nem se estressa no procedimento! A coleta geralmente é feita na região do pescoço, tudo com muito cuidado para preservar o bem estar do cãozinho ou gatinho doador: não há nenhum efeito colateral e o pet pode doar novamente em três meses, quando o organismo repor o volume de sangue coletado! Cães podem doar até 450 ml de sangue, enquanto os gatos doam até 40 ml.


 

Como funciona a tipagem nas transfusões de cães e de gatos?

É sempre importante lembrar que cães não podem receber sangue de gatinhos, e vice-versa- e mesmo entre os pets da mesma espécie e raça, a compatibilidade será testada antes, afinal existem cerca de três tipos sanguíneos entre gatinhos e cerca de 13 tipos de sangue entre cães, que podem variar dentro da mesma raça.



Quais são os requisitos para ser um pet doador?

Tanto cães quanto gatos precisam cumprir alguns requisitos para se tornarem doadores de sangue: possuir temperamento dócil, não fazer uso de medicação contínua, ter vacinação e vermifugação atualizadas e controle de pulgas e carrapatos, além de não ter no histórico clínico nenhuma doença, transfusão ou cirurgia nos últimos 30 dias; além disso, as fêmeas precisam ter saído do cio há pelo menos um mês. Confira abaixo os requisitos de peso e idade que os pets doadores precisam cumprir:

  • Cães precisam ter idade entre 1 e 8 anos e peso mínimo de 20kg;
  • Gatos precisam ter idade entre 1 e 7 anos e peso mínimo de 4kg;


 

Existe alguma vantagem para o pet doador?

Além de ajudar no tratamento de saúde de cãezinhos e gatos que estão em uma situação delicada, o seu pet também ganha vermífugo e exames de sangue (hemograma e testes de função renal e hepática), ajudando você no checkup constante da saúde do seu peludo - mas o maior benefício é a possibilidade de salvar a vida de um animalzinho que precisa muito!



Legal! Onde posso levar o meu cão ou gato para fazer uma doação de sangue?

Primeiro, você precisa saber se existe um banco de sangue animal na sua cidade ou nos arredores: aqui no Império dos Animais em Caconde por exemplo, você preenche uma ficha de inscrição com seus dados e os dados do pet e ele já pode doar e ajudar muitos outros animaizinhos compatíveis a recuperar a saúde! Confira a ficha no fim deste post e traga seu pet para ajudar outros animaizinhos!