Outubro Rosa Pet: todos contra o câncer de mama em cadelas e gatas!


Todos nós conhecemos a necessidade de aplicar vacinas para prevenir a maioria das doenças que pode acometer os nossos cães e gatinhos -  mas nós também conhecemos algumas outras doenças que não podem ser prevenidas mediante vacinação: neste Outubro Rosa, tão importante para a conscientização contra o câncer mamário e como estímulo à luta contra o câncer entre mulheres, nós precisamos falar dos riscos que nossas pets correm que sofrer com o mesmo problema, já que o câncer de mama pode acometer cadelas e gatas com a mesma intensidade!

 

O tipo de tumor mais frequente em cadelas

O câncer de mama é o tipo de tumor mais comum (e mais temido) em cadelas, consistindo em um medo constante de cada tutor de fêmea - já que nos machos, a incidência de tumores malignos é menor, embora possível. Os tumores que acometem os gatinhos e gatinhas costumam ser, em sua maioria, malignos e agressivos, e embora a família dos felinos apresente um número menor de ocorrência de tumores mamários, a incidência ainda é alta e merece toda a atenção! O câncer de mama é uma neoplasia: um tumor maligno que não escolhe raça, e se desenvolve em consequência de alterações genéticas que fazem as células da mama se dividirem sem controle, causando um crescimento anormal no número de células: apesar de simples de definir, e de possuir tratamento na maioria dos casos, o câncer em qualquer criatura e em qualquer estágio requer atenção e seriedade para alcançar o sucesso na cura. 

 

 

O que causa o câncer de mama?

Sendo causado por fatores genéticos, é possível apontar apenas poucos fatores de influência no surgimento dos tumores, e mesmo na prevenção deles. Observando a incidência de câncer de mama pet, é possível relacionar o seu aparecimento com alguns hormônios como estrógeno e progesterona, presente em maior volume nas fêmeas, podendo mesmo ser relacionado com o número de ciclos férteis que a gata ou cadela já teve: o que significa que as pets não castradas, especialmente as medicadas com suplementação ou anticoncepcionais e/ou que sofreram com casos de gravidez psicológica fazem parte do grupo de risco para a doença. A idade também é um fator importante, visto que a maior parte das incidências de tumores malignos em pets mais velhos, entre 6 a 10 anos de idade ou mais, bem como a alimentação: rações de baixa qualidade, repletas de conservantes e componentes inorgânicos podem aumentar as chances do desenvolvimento de um tumor maligno no pet assim como a exposição prolongada a essas mesmas substâncias aumenta os riscos de um câncer em um ser humano.



Sintomas do câncer de mama

O câncer de mama de forma geral se desenvolve de maneira assintomática e muito silenciosa, retardando a percepção,diagnóstico e tratamento, diminuindo portanto as possibilidades de cura - e sendo um tumor maligno em mais de 50% dos casos,  é essencial ficar de olho na saúde do seu pet e procurar um profissional ao notar os sintomas da doença:

  • Nódulos na região das mamas da pet;
  • Inchaço ou dilatação mamária;
  • Aparente dor ou desconforto na região mamária;
  • Secreção mamária com odor desagradável;

Como os sintomas se concentram na região mamária da pet, é primordial estar atento ao aparecimento de caroços nas mamas, ou entre elas, pressionando delicadamente a região, observando sinais de desconforto ou dor na cadela ou gata, ou mesmo a liberação de uma secreção: em qualquer sinal positivo, corra com a pet para o veterinário!

 

 

É possível prevenir o câncer de mama em animais?

Considerando que o surgimento dos tumores malignos se dá principalmente por fatores genéticos, a castração é uma atitude essencial para prevenir o câncer de mama em cadelas e gatas, especialmente quando é feita antes do primeiro cio, evitando a aplicação de anticoncepcionais e os picos de hormônios em períodos férteis das pets; tomar cuidado e buscar orientação profissional do médico veterinário sobre suplementação hormonal e mesmo a alimentação do pet também é aconselhável, lembrando sempre que o câncer de mama também atinge os cães e gatos, mesmo que com menos frequência.



Tratamento do câncer de pets

Após a análise dos resultados de exames como a tomografia, ultrassom, radiografias e biópsia, que podem ser todos necessários para o diagnóstico do câncer, e confirmado um tumor maligno, o estágio da doença e o tratamento são definidos. Geralmente, a primeira opção de tratamento é uma cirurgia para retirar a neoplasia e o útero da pet (já que ele é o responsável pela produção de hormônios relacionados ao surgimento do tumor), podendo ser seguida de uma quimioterapia para evitar metástase e reincidência da doença, mas é importante realçar que, principalmente em cadelas, a chance de reincidência pós-tratamento ainda é alta: portanto todo cuidado é pouco!


 

É importante lembrar que as donas de pet também precisam tirar um tempinho para fazer o autoexame e cuidar da saúde, afinal o risco de incidência em humanos também é muito alto! Aos donos de cadelas e gatas, fique de olho na saúde das pets, castre o quanto antes e a qualquer sinal de anomalia, corra para a Império dos Animais: nossa equipe completa estará a postos para diagnosticar, orientar e cuidar da saúde da sua pet com todo o nosso esforço e eficiência! Envie esse artigo para um tutor ou tutora de cadelas ou gatas e colabore na luta contra o câncer de mama: contamos com você!